sábado, 19 de Janeiro de 2013

Tratamento | Verrugas: O que são e como tratar?

Olá meninas!

Hoje venho falar-vos de um assunto mais direccionado para a área da Saúde mas que também tem uma grande componente estética.

Venho falar-vos de verrugas e do seu tratamento.

Desde pequena que tenho uma tendência para desenvolver este tipo de problema. A primeira que tive desenvolveu-se na planta do pé direito e causava um imenso desconforto. Depois de um tratamento agressivo (falarei dele mais à frente) desapareceu sem deixar qualquer tipo de marca.

Uns anos mais tarde, desenvolveram-se mais algumas (5 para ser exacta) na minha mão direita.
A primeira desenvolveu-se sobre um calo (o chamado calo de escrever) e só ao fim de algum tempo é que me apercebi que era uma verruga. As restantes desenvolveram-se no dedo indicador, anelar e palma da mão.

A do dedo anelar, misteriosamente, desapareceu. As restantes cá continuam a causa alguma dor e desconforto.

Ontem decidi dirigir-me a um dermatologista que me prescreveu um tratamento com o objectivo de as diminuir. Achei que seria um assunto interessante de expor aqui no blog. Sabe-se lá quantas pessoas também têm este problema e não o tratam.

Para começar, quero explicar-vos o que são, de facto, verrugas.

As verrugas fazem parte de um grupo de doenças causadas por vírus. As verrugas, especificamente, são provocadas pelo pailomavírus.

São, então, pequenos tumores cutâneos que podem ser causados por um dos 60 tipos de papilomavírus humanos.





As verrugas podem ocorrer em qualquer idade, mas são mais frequentes em crianças, e menos frequentes em idosos. Embora se propaguem facilmente entre várias zonas do corpo, a propagação entre indivíduos não ocorre tão facilmente (existe uma excepção apenas no caso das verrugas genitais).

A maior parte das verrugas são inócuas, havendo, no entanto, uma pequena percentagem de verrugas que afectam o cólo do útero e o pénis que podem tornar-se cancerosas.

O tamanho e forma varia consoante o tipo de vírus que a origina e a sua localização anatómica. Algumas não são dolorosas, outras causam dor por irritação dos nervos (aconteceu com a verruga que tive no pé). Algumas crescem em grupo (verrugas em mosaico):


Outras ocorrem como formações isoladas e únicas:


É frequente desaparecem sem tratamento. No entanto, algumas persistem durante muitos anos e outras desaparecem e voltam a aparecer.

O diagnóstico prende-se numa observação por um dermatologista, que tenta definir se, de facto, se trata de uma verruga ou de outra neo-formação. Nem todas as formações que se assemelham a verrugas são diagnosticadas como tal. As verrugas classificam-se de acordo com a sua forma e localização.

A maior parte das pessoas tem verrugas vulgares, que não são mais que protuberâncias duras que têm uma superfície rugosa e são arredondadas e irregulares. Têm uma cor acinzentada, amarela ou parda, e em geral medem menos de 1cm de diâmetro. 

Normalmente ocorrem em zonas submetidas a frequentes traumatismos, como dedos, em redor das unhas, joelhos, na cara ou couro cabeludo. Podem disseminar-se mas as verrugas vulgares nunca são cancerosas.

As verrugas plantares aparecem na planta do pé, onde se tornam achatadas devido à pressão exercida ao caminhar e são rodeadas de pele engrossada. Podem ser extremamente dolorosas. Ao contrário das calosidades, as verrugas plantares têm tendência a provocar hemorragias com a forma de pequenas sardas puntiformes, quando a sua superfície é cortada ou raspada com o bisturi.

As verrugas filiformes ou digitadas são formações compridas, estreitas e pequenas que costumam aparecer nas pálpebras, na cara, pescoço ou lábios.

As verrugas planas, mais frequentes em crianças e adultos jovens, costumam aparecer em grupos sob a forma de lesões lisas, de cor amarelo-pardacenta, sobretudo na face.

Passando agora às formas de tratamento, elas podem ser várias e consoante o tipo de verruga e tamanho e, ainda, o tempo de permanência sobre a pele.

O meu caso é um caso de várias verrugas vulgares isoladas (apesar de serem muitas). O tratamento aconselhado poderá consistir na aplicação de uma solução diariamente ou de um emplastro embebido em ácido salicílico e ácido láctico que amaciam a pele infectada, permitindo que se possa raspar suavemente (com pedra pomes ou uma lima grossa) levando ao desaparecimento por completo da verruga.

O médico pode, ainda, optar por congelar a verruga com azoto líquido, mas é possível que o processo tenha de ser repetido após algumas semana para a eliminar completamente. 

Outro tratamento utilizado é a electrocoagulação (tratamento com corrente eléctrica) ou a cirurgia a laser. Estes tratamentos podem destruir a verruga, mas ambos podem deixar cicatrizes. Independentemente do método utilizado a verruga tende a re-aparecer em aproximadamente um terço dos casos.

Podem, também ser utilizados outros produtos químicos (como ácido tricloroacético ou cantaridina) mas que não se tornam tão eficazes, podendo surgir novas verrugas em volta dos bordos das anteriores.

Em relação às verrugas planas estas tratam-se com agentes descamantes, como ácidos retinóico ou salicílico, que fazem com que esta se solte juntamente com a pele descamada.

Falando, agora, da minha situação em concreto.

Aqui ficam imagens das minhas 4 verrugas da mão direita. Tenho duas a aparecer na mão esquerda mas ainda mal se notam, nem aparecem numa fotografia, só se sentem.




A maior é mesmo a do indicador.
A médica sugeriu-me a aplicação diária de Verrumal. É um medicamente líquido com ácido salicílico e fluorouracilo, com aplicação semelhante à de um verniz (com um pincél). Faz parte do grupo de medicamentos usados em afecções cutâneas e, mais concretamente, das preparações para verrugas, calos e condilomas. Custa 5,58€. Depois de um mês a aplicar o medicamento, as verrugas já terão reduzido o tamanho e, aí sim sim, serão queimadas as que ainda sobreviverem.

O tratamento consiste então em, uma vez por dia (optei por fazer à noite, ao deitar), colocar as mãos em água quentes para amolecer as verrugas. De seguida, desgastar a sua superfície com pedra pomes ou uma lima grossa.
Por fim, aplicar um creme hidratante na pele circundante à verruga e aplicar sobre a verruga o Verrumal e cobrir as verrugas com ligadura de pano e adesivo.

O ideal será manter o penso até à hora do tratamento do dia seguinte.

Depois do primeiro dia só posso dizer o seguinte: o líquido QUEIMA MESMO. Devo ter aplicado um pouco sobre pele saudável e estou aqui a sofrer com dores na mão. De resto, agora que estou de férias consigo perfeitamente manter as verrugas tapadas. Quando for trabalhar talvez tenha de usar luvas.

Quero ir fazendo actualizações semanais do aspecto das verrugas aqui no blog, para que possam ver a acção do tratamento.

Espero que, apesar de tudo, tenha sido um assunto interessante e que vos vá trazendo alguma informação sobre este tema que incomoda muita gente silenciosamente.

Que acham deste tipo de post?
Acham importantes falar destes assuntos que relacionam saúde e estética?
Gostava de ver assuntos exclusivamente ligados à saúde?
Um beijinho.

6 comentários:

  1. Estou seguindo todos os blogs que me seguem!

    Faz uma visita, assim já me deixará feliz!
    Www.allyoungpeoplewant.blogspot.com

    ResponderEliminar
  2. o meu filho tem uma no dedo da mão mais precisamente no indicador.Gostei muito e me ajudou a esclarecer muitas dúvidas a respeito!Um abraço pra vc q postou ok?
     

    ResponderEliminar
  3. Obrigada Carla :) Beijinhos

    ResponderEliminar
  4. Ola, onde posso achar as fotografias depois de tratamento com verrumal?

    ResponderEliminar
  5. Também estou a tratar 4 verrugas planares com verrumal. Muito obrigado. Em duas semanas nao vi evolução e não sei como é possível nascer pele nova com o verrumal em cima. As verrugas tem 3 mm

    ResponderEliminar

Obrigada por comentarem! ♥
Respostas aos comentários são dadas no próprio post. Fiquem atentas! :)